15/02/2008

O fim da música no ensino

Chegou ao meu endereço de correio electrónico uma petição que vai alterar o que é hábito na minha postura perante este tipo de mensagens. Normalmente não ligo nenhuma a petições e correntes que são enviadas de pessoa para pessoa. A razão principal é que normalmente vejo sempre esses movimentos com alguma desconfiança no que diz respeito à sua veracidade (no caso das correntes, prefiro arriscar nunca mais ter nenhum amor na vida e ter sete anos de azar, como a maior parte delas ameaça caso não se reencaminhe, do que chatear os meus amigos com coisas idiotas).


Mas, desta vez, não há forma de ignorar o assunto. Acontece que o Ministério da Educação quer acabar com o ensino público da música. Nem vale a pena comentar muito o assunto, porque a cretinice dessa intenção é por demais evidente, ainda mais quando a utilização do ensino de formas de arte e expressão para a valorização e crescimento mental e social das crianças é uma das formas mais eficientes que existem. Aliás, isso mesmo é utilizado vezes sem contas em projectos de reintegração e formação de menores em risco, como acontece com os projectos do Atelier Arte e Expressão, associação de cariz cultural e social de cuja direcção tenho a honra de ser presidente, o que só prova a sua eficácia.

Por isso, aqui fica o link para a petição.

2 comentários:

Homem do Leme disse...

Só faltava mesmo esta!!! Depois dos manuais de português com textos da série "Morangos com Açúcar"... É a hipocrisia deste país, onde se licenciam desempregados, onde os jornais mais lidos são os desportivos, onde a iliteracia impera e ainda existem jovens, nascidos depois do 25 de Abril, anafalbetos. Mas como disse alguém que muito admiro "...há diversas modalidades de Estado. Os sociais, os corporativose o Estado a que chegámos"

Margarida disse...

Luis,
nao posso deixar de discordar um bocadinho contigo em relação a este artigo.
A verdade é que o ensino publico da musica nao vai acabar. Pelo contrário. Sim, é verdade que o Conservatório pretende fechar as classes de ensino básico. Mas pensa comigo:
quantas pessoas têm oportunidade de aceder ao conservatorio nacional(pela modica quantia de 20€ por ano)?Quase nenhumas, porque têm obrigatoriamente que ser de Lisboa, e porque quando pretendes um ensino especializado, como é o caso do Canto, só podes entrar no conservatorio com 16 anos!
Por outro lado, se tu, aí nas Caldas, quiseres por um teu filho no Conservatorio da cidade, pagas imenso por mês. Tal como se tiveres aulas particulares(que é o meu caso, pq depois dos 21 também nao podes ir para o conservatorio)!
E porque nao deixar que professores especializados levem as bases da musica até TODA a gente, dando a oportunidade de escolha àqueles que por falta de dinheiro ou "azar" de nao morar em lx de outra forma nunca conheceriam a arte da musica..
As coisas nunca sao tao lineares quanto os media fazem parecer, e seria bom ir realmente ler os contornos de tudo o que se passa no Conservatorio Nacional(que já nem te da um curso superior ou sequer acesso directo à Escola Superior de Música...isto faz sentido???).
Mas nao há ninguem mais a favor da musica do que eu :D

*