02/11/2007

Mais uma do Papa

Vejo na SIC Notícias uma reportagem sobre uma doença que até agora desconhecia, que é a Doença Celíaca, ou seja, uma incapacidade do organismo de tolerar o glúten, que, segundo percebi, está presente em quase todos os cereais.

Na reportagem, a doente entrevistada explicava os extremos cuidados que tinha que ter com a sua alimentação. Mas o que mais me chocou foi ouvir a mãe da doente a lembrar-se de alguns desafios que teve ao longo da educação da sua filha. E deu este exemplo inacreditável: quando quis que a filha fizesse a primeira comunhão, teve bastantes dificuldades já que a hóstia contem glúten e não havia forma de dar a volta à questão. É que o então cardeal Ratzinger (sim, esse mesmo que agora, infelizmente, é Papa)para evitar o enorme trabalho de se produzirem hóstias sem glúten, proibiu a comunhão para alcóolicos e indivíduos com doença celíaca.

A ser verdade, é, sem dúvida, uma atitude completamente de acordo com o que é a fé cristã. E será mais um grande exemplo da grande hipocrisia que existe em redor deste pseudo homem de Deus. E depois admiram-se que cada vez existam menos pessoas a ingressar na Igreja Católica. É caso para dizer, Perdoai-lhes que não sabem o que fazem...

5 comentários:

kiduchinha disse...

É realamente vergonhoso e, infelizmente, este exemplo não é o único...

Homem do Leme disse...

Vergonhoso, hopócrita, animalesco,... Nem sei o que dizer, tamanha é a revolta que sinto contra este tipo de atitudes. Mas a igreja católica é perita em me fazer sentir revoltada, por isso até já nem estranho.

LittleGirl disse...

Lembro-me de uma vez ter falado da Igreja Catolica contigo e continuo a dizer-te o mesmo: a fé vai para além da Igreja Católica. Porque se a Igreja sao os Homens, e se os Homens não são perfeitos...gostava de saber por que razão toda a gente se revolta tanto com os erros que diariamente todos cometemos...
A vocação não é sinal de perfeição, julgo!Ou será?, e sou eu quem anda desactualizada nas definições do dicionario?
(nao quero com isto, de todo, dizer que estou de acordo com a atitude do Ratzinger...)Anyway!, ser "homem de Deus" incita a tentar a perfeição..nao significa que a alcancem!
Ou nao sao os ateus que dizem sempre: Lá por acreditarem em Deus nao sao melhores que ninguem? ;)

Luís Costa Pires disse...

Concordo quando dizes que a fé vai muito além da Igreja Católica. Aliás, se reparares, eu falo da Igreja Católica enquanto instituição e não dos indivíduos que tentam alcançar uma ligação religiosa.

Eu sou cristão, como deves lembrar-te também, aliás, estudo exaustivamente a palavra de Cristo e tudo o que está em seu redor. E, por isso, jamais iria desrespeitar a fé de alguém. Mas estudo a fonte e não a mensagem depois de "traduzida" pela Igreja. Por isso tenho uma visão um pouco diferente.

Mas não é disso que estou a falar. A Igreja Católica (instituição) há muito tempo que já não é o que apregoa ser. É dessa hipocrisia, das mentiras, da opulência, até da fuga à palavra de Cristo (sim, basta ler com olhos de ver o que está nas escrituras e não nos limitarmos a ouvir o que nos querem passar, para se ver como a Igreja foge da Sua palavra em tantas questões).

Ser Homem de Deus incita a tentar a perfeição, mas nem todos a alcançam. Certíssimo. Mas há muitos que já deixaram de tentar. Mas, mesmo assim, ainda usam a palavra como pretexto para tudo. Esse é precisamente o problema.

Madame Celeste, disse...

Luis,
Encontrei seu blog através do "Escrita", da Dunya e devo dizer que gostei muito de seus textos. A respeito do seu post sobre o Papa, não me surpreendo. A ignorância cômica é a base para todas essas questões "cristãs". Cada vez que leio alguma nova notícia das "desventuras" da igreja católica, fico mais convencida que o novo papel pós-moderno da "instituição" é povoar novo cotidiano com suas tentativas desesperadas de lembrar as pessoas da antiga influência que já teve. Com muito humor negro, lógico. hahahaha. Abraços